Os primeiros indícios anímicos e corporais da gestação

postado em: gestação | 0
Fonte: Pixabay

O corpo é um complexo todo interligado. Avisa e sinaliza suas mudanças a todo instante. Se há presença, se há percepção, e se estamos conscientes da relação corpo-alma, podemos compreender a sua fala conosco.

Os primeiros sinais do início de uma gestação já podem ser percebidos de diferentes maneiras quando estamos despertas. Há mulheres que por serem ou estarem mais sensíveis já sabem no momento da fecundação da sementinha plantada em seu ventre. E aí uma nova história se inicia, um novo portal se abre para este casal – ou para esta mulher. E enquanto Doula, um dos focos do meu trabalho é amparar o casal (primeiramente a mãe) no âmbito emocional desta nova fase.

O corpo desta mulher, desta mãe, será cedido por nove meses para o desenvolvimento da vida deste bebê (e essa fusão mãe-bebê ainda continuará por alguns anos mesmo após o nascimento) e neste processo a mulher sente essas transformações mais fortemente. Por de trás de questões visíveis como, por exemplo, o crescimento da barriga e aumento das mamas, existe todo um universo interno (físico, emocional, espiritual) de transformações no mundo desta mulher. Quem vê de fora não faz nem ideia do que acontece dentro do corpo, da mente e do coração dela!

 

Aqui estão alguns sinais de mudança e algumas indicações de como tratar essas situações:

 

Enjoo e náusea:

Muitas gestantes sentem enjoo principalmente no primeiro trimestre da gestação. Ele se apresenta geralmente pela manhã, junto com fraqueza e às vezes cansaço. Aqui, mais uma vez, é o bebê se apresentando, tentando dizer “aqui estou eu, mamãe! Você já consegue me perceber?”. São novas condições que o corpo vivencia e este início da gestação é muito mágico, pois cada dia é um novo universo de transformações que aquela “celulazinha-bebê” passa. Se seu corpo pede descanso, tente escutá-lo! Todo cuidado e resposta para as suas necessidades é importante!

Óleo essencial de toranja, (grapefruit), hortelã e limão são boas dicas para diminuir as náuseas. Costumo sugerir que a mulher prepare um vidrinho com borrifador com água e algumas gotinhas de um desses óleos para levar na bolsa e poder dar uma “fungadinha” quando estiver passando mal na rua. Alternativa – que é bonita e elegante – pode ser colocar essas essências em colares que usam potinhos de vidro como pingente.

Além desses óleos essenciais, o uso de gengibre (seja em chás ou nas refeições) e o aplicar pressão com o dedão estimulando o ponto de acupuntura Nei Guan são atos milagrosos também! O ponto Nei Guan você encontra medindo três dedos abaixo do início da palma. O estímulo deste ponto visa aliviar a ansiedade e a sensação de enjoo. Se você buscar na internet encontrará mais informações sobre!

 

 

Sensibilidade a cheiros:

É muito comum que os sentidos da gestante estejam à flor da pele. Ao passar por uma roseira, sente-se banhada em seu perfume etérico! Da mesma forma, sente-se extremamente repelida a cheiros ruins, como cigarro – por exemplo. Eu acredito piamente que este seja um importantíssimo mecanismo de defesa que o bebê cria, fazendo com que a mãe não consiga suportar o cheiro da nicotina. Esse sintoma de sensibilidade ao afastamento do que é tóxico é o mecanismo de segurança que o protege do perigo – por vezes até, como nesse caso citado, fazendo com que alguns pais e mães fumantes consigam parar de fumar, ao menos nesta fase!

Buscar o que é saudável é o mecanismo da natureza para fazer com que a vibração da mãe esteja similar com a do bebê. Se ela está sensível, é porque dentro de seu ventre vive agora um ser muito sensível e frágil. É uma sabedoria da natureza levar a mãe para esta dança receptiva! E se ela relaxa e entra neste bailar, tem a possibilidade de no futuro entender com mais facilidade a linguagem e necessidades do bebê quando ele nascer. A relação já se inicia aqui, e não somente após o parto.

 

Desejos e apetite:

Vontade de comer pepino, chocolate, ou qualquer outro desejo, pode se apresentar para algumas grávidas. Sempre incentivo a mulher a escutar o que o corpo está pedindo. O quesito aqui é a busca do equilíbrio entre prazer e saúde.

Se uma das coisas que a gestante almeja é um parto natural, precisa estar em harmonia com seu corpo, sabendo escutá-lo. Eles precisam – corpo e consciência – tocar a mesma música e, claro, não só no parto, mas já antes. Escutar o que o corpo precisa ou quer, é um pré-exercício para o “grande momento” do nascimento.

Para os desejos muito fortes tenho algumas dicas: se for vontade de comer azedo coma chucrute (repolho fermentado – super saudável!) ou pepino em conserva. Se der vontade de doce… que tal cereais, nozes, cenoura, funcho, uvas passas ou tâmaras? Se a vontade for mesmo de chocolate, dê preferência a um que tenha maior porcentagem de cacau e menos de açúcar. O cacau é um super alimento, rico em magnésio, importantíssimo na gestação para a regulação da pressão arterial, diminuição de contrações prematuras e ajuda nos sintomas de câimbras nos pés e mãos. Um creme de cacau à base de castanhas de caju, leite de coco e banana, é também uma saudável e deliciosa opção!

Seja criativa e ouse na cozinha!

 

Carência, ficar “chorona” e sensível:

Pelo lado biológico a gestante experiencia um tsunami de mudanças hormonais em seu corpo – o que às vezes a faz ficar mais sensível, impaciente ou “chorona”. Por outro lado, pelo lado espiritual, ela carrega dentro de si a energia de outro ser, o que faz com que seu próprio campo vibracional esteja diferente.

A sensibilidade é um grande tesouro, mas aqui vale à pena prestar atenção à frequência e à forma que isto toma. É uma sensibilidade que te ajuda ou te escraviza? Será teu bebê que está te apresentando um mundo novo através da sua vibração ou tua criança interior te pedindo colo e atenção?

A gestação é uma enorme chance que nós temos para curar muitas programações, crenças e carências que temos dentro de nós.

Existe uma enorme diferença entre pais conscientes das suas questões e que estão atentos ao trabalho interno e outros que tentam educar seus filhos a partir da perspectiva das suas crianças interiores. Esta última situação é caótica! A primeira é desafiadora, tendo-se consciência das dinâmicas envolvidas.

O convite para o autoconhecimento está aí e aproveitar esta fase pode ser um intenso mergulho dentro do seu universo! A técnica da leitura de aura é uma possibilidade.

Ah! Se há estados de inquietação, nervosismo, falta de confiança, o óleo essencial da laranja bergamota (Citrus bergamia) auxilia muito na busca de equilíbrio e força interior.


Se sua gestação é saudável, não existe necessidade para uso de qualquer medicamento. Estar grávida não significa estar doente – pelo contrário, seu corpo tem tanta vitalidade que pode gerar outra vida.

Além disso a medicalização da gestação (e mais tarde do parto) dificulta que o corpo se desenvolva e processe suas questões naturalmente. Enquanto Doula, sugiro que a gestante esteja presente e atenta aos seus processos e necessidades. Tomar um remédio pode ser, por muitas vezes, não estar atenta ao seu próprio corpo e ao sintoma que ele deseja que você perceba.

 

Curvas, flacidez:

Talvez você já possa sentir alguma mudança física no seu corpo. A flacidez, as belas curvas que se formam e a suavidade fazem parte do universo da gestante.

Que tal aproveitar essa fase e se permitir ficar redonda, apreciar as curvas? Tenho uma amiga Doula que faz um trabalho lindo de dança do ventre para grávidas. Que tal aproveitar esses meses e pôr essa barriga linda pra dançar e rebolar com suavidade e flexibilidade?  Os benefícios da dança são tanto para o parto, para a saúde feminina, para a autoestima da mulher e para conexão com seu bebê.

 

Sensibilidade nas mamas: 

Já é comum que esses sintomas apareçam ainda antes de você saber que está grávida. Aqui é, de novo seu corpo, em sua sabedoria, já se preparando aos poucos para mais uma grande tarefa que irá realizar com a chegada do seu bebê: amamentá-lo com o néctar mais saudável, forte, gostoso e feito exclusivamente para ele – o leite materno.

Não há nada de errado com seus seios e não há motivo para se preocupar – está tudo acontecendo da maneira perfeita. Contudo, caso o incômodo seja grande, recomendo colocar sobre as mamas uma fraldinha embebida em água morna misturada com uma gota de óleo essencial de lavanda.

Algo muito importante de se lembrar é: quando passar um creme ou óleo no corpo, não fazê-lo nem sobre as mamas tampouco sobre os bicos dos seios. Caso contrário, e devido a sua sensibilidade, estes “receptores” podem se inflamar mais facilmente. E para já ir treinando o seio para a amamentação, é recomendável também tomar banho de sol e ficar por algumas horas sem sutiã – o que fortifica o bico e a mama.

 

Nesse tempo em que seu corpo passará por fortes transformações, permita-se viver o período com leveza e conexão consigo mesma. Observar-se e tonar-se consciente de si fará com que você possa começar a identificar os sinais do corpo e entender qual a melhor maneira de lidar com ele.

O essencial é, sim, celebrar este momento, celebrar a magnífica capacidade do seu corpo de gerar uma vida!

E você já agradeceu por isso hoje?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *